Com os avanços significativos da informática, surge a possibilidade da criação de novas e incríveis produções audiovisuais com auxílio do computador. Dentro desta perspectiva, vários grupos dentro da sociedade vem se organizando para produzir materiais audiovisuais direcionados a diversos fins, inclusive materiais didáticos e de divulgação científica. Nas produções destes segmentos encontramos uma fissura muito clara entre a dimensão estética e a dimensão conceitual dos produtos gerados por profissionais, normalmente, de área da computação ou de áreas das ciências.
  Dentro deste panorama, propomos uma fusão indissociável e orientada entre o conhecimento estético e o conhecimento científico. Expomos a necessidade urgente desta fusão em um mundo onde o conhecimento e seus produtos se multiplicam a cada segundo, e onde uma parte enorme da população ainda está à margem destes.
  Analisando material de divulgação científica e didática, podemos notar facilmente como a dimensão estética, priorizada em detrimento da científica, tem produzido material muito bonito, mas com sérios erros e indução a falsas concepções ('misconceptions') ao público alvo. O contrário também é muito comum, onde encontramos rigor científico descolado de princípios e concepções estéticas, produzindo material cientificamente correto, mas muito desinteressante e, não raramente, de dificílima compreensão.
  A Biosphera conta com profissionais das áreas das Ciências Biológicas e Saúde, Educação, Áudio Visual e Informática em um grupo coeso com a finalidade de aliar precisão e conceituação científica, estética e competência técnica. Mais do que um grupo interdisciplinar, a Biosphera conta com a interdiciplinaridade em cada membro da equipe, formados em Ciências Biológicas, com conhecimento em informática e produção audiovisual. Através desta fusão de conhecimentos a Biosphera propõe uma forma de produção audiovisual: capaz de ajudar na construção de um conhecimento convergente com o científico e estética .